Embaixadores - Alexandre Magno Andrade Maciel - UPE
Logon
Assistente Virtual de Aprendizagem, de baixo custo e fácil integração tecnológica, recebe o Prêmio Santander Ciência e Inovação 2014
Arquivo Pessoal
  • Alexandre Magno Andrade Maciel, professor de Engenharia da Computação na Universidade de Pernambuco (UPE), coordena a equipe que criou o Avatar Educação, um personagem animado, que atua como um assistente virtual em cursos presenciais e a distância, direcionado a instituições de ensino e empresas que desenvolvem programas de treinamento corporativo
  • Também fundador da startup Vocal Lab, responsável pela comercialização da ferramenta, o professor vai investir os recursos do prêmio na infraestrutura necessária para utilização do produto em larga escala e nas vendas
  • Em 10 anos dos Prêmios, foram distribuídos mais de R$ 9 milhões em premiação

A partir de agora, as aulas e os treinamentos a distância podem ser mais dinâmicos e atrativos com o Avatar Educação, um personagem animado, que atua como um assistente virtual de aprendizagem, direcionado a instituições de ensino e empresas que desenvolvem cursos corporativos. Líder da equipe que criou a ferramenta inovadora, Alexandre Magno Andrade Maciel, professor de Engenharia da Computação na Universidade de Pernambuco (UPE), recebeu pelo projeto o Prêmio Santander Ciência e Inovação de 2014, na categoria Tecnologia da Informação, da Comunicação e da Educação, no dia 5 de novembro.

Oferecido ao consumidor a um baixo custo e de fácil integração tecnológica, o Avatar Educação é um personagem com feições humanas e voz sintética, que atua como um assistente em cursos presenciais e a distância. Seu uso, integrado aos ambientes virtuais de aprendizagem, enriquece o material didático das aulas, maximiza a comunicação e a interação entre alunos e professores e motiva o espectador a aprender por tornar a aula mais atraente.

Até o momento, o projeto só funcionou em ambientes de testes, mas com a premiação no valor de R$ 100 mil, Alexandre investirá os recursos na infraestrutura necessária para utilização em larga escala e comercialização pela sua startup, a Vocal Lab. “Pretendemos, ainda em 2014, implantar em algumas universidades públicas e, no próximo ano, tornar disponível para outras instituições”. Ainda que o modelo de negócio não esteja definido, o pesquisador irá submeter o projeto a uma aceleradora de empreendimentos, a fim de facilitar a entrada do produto no mercado, além de abrir espaço para investidores que se interessem pela ideia.

Maciel diz que todo profissional espera ser reconhecido pelo seu trabalho, por isso, para ele, depois de dois anos de mestrado, quatro de doutorado e mais dois dedicados à pesquisa, ser coroado com uma premiação deste nível valida um longo trabalho, que contou com a colaboração de dezenas de pessoas, e motiva a continuar a batalha com o ânimo renovado. “Acho fantástica a iniciativa dos Prêmios Santander. Em minha universidade, sou incentivador da metodologia da tríplice hélice - academia, indústria e governo - e acredito que ações como essas do Santander fortalecem bastante esse conceito. Acreditamos que a visibilidade do prêmio trará novas oportunidades de colaboração a UPE, além de consolidar nosso campus como um lugar de referência na pesquisa e na inovação”, afirma.

O projeto Avatar Educação iniciou como parte do trabalho de doutorado de Alexandre Maciel, no Centro de Informática da UFPE, sob a orientação do professor Edson de Barros Carvalho (também sócio da Vocal Lab), que deu origem a startup, voltada ao desenvolvimento de soluções com interface de voz. Em seguida, tornou-se membro da equipe, o professor Rodrigo Rodrigues, do Departamento de Educação da URFPE, que contribuiu de forma considerável na concepção e no aperfeiçoamento da ferramenta.